Páginas

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Antes a inquietude do amor ao conforto da solidão


Anteponho sofrer mil dias por amor.
A caminhar cem dias de coração oco.
Pertence aos covardes o medo de amar.
E aos impávidos a possibilidade de sofrer.

E na estrada por onde o amor passou,
Também passei por ela algumas vezes.
E vi que nem sempre o amor é compartilhado,
Amor que seria pra dois fica com um só.

Bem ao longe dentro de um aquário
Estavam os indiferentes ao amor,
Mas quando chega a noite e a solidão assola a alma
A culpa é do coração por não se apaixonar.

E antes de dizer que não existe mais o amor
Saiba que esse é um sentimento infindável
E o que incomoda não é o fato de sofrer,
Mas sim a imprecisão de sua chegada.
J Mario Cavalcante