Páginas

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

?


A madrugada caminhava para seu fim

Com a lua dourada
Do tamanho da ambição 
Dos homens.

O céu cintilava
Com a cor do sangue
Daqueles que morreram
Por seus ideais.

As gotas de prata ferventes
Que jorravam do céu
Feria quem ousasse
Enfrentar-te.

A noite furiosa que se extinguia.
Levava com ela todos os sonhos
Daqueles que ousaram nos proteger.

A chama da desordem não cessou,
Mas os que nos protegem cessaram.

Porque essa era a visão dos derrotados
Onde não há um final feliz,
Mas sim um final errado.

J Mario Cavalcante