Páginas

sexta-feira, 1 de março de 2013

Só imagem




A solidão sempre a pregar peças
Nos corações desatentos e lúgubres.
Miragens que ao longe exprimem belezas
Concepções comprometidas por insensatez.

Apaixono-me mil vezes todos os dias,
Mínimos gestos de extrema formosura
Fascinam, impecavelmente tão lindas
Sempre seduzem por tão doce candura.

E no silenciar das paixões dentro do peito
Por não desapegos a rotinas fúteis
Adquiridas quando? Nem lembro-me ao certo
Motivos esses que talvez deixe os dias desagradáveis.
J Mario Cavalcante