Páginas

quinta-feira, 21 de março de 2013

Sonhos



É no ócio que se estabelece
Minha relação com as frustrações
Que vagam clandestinamente
Por caminhos que não passo.

Os sonhos afloram com prazo de validade
Em corações aflitos, desiludidos e vazios
E pra tornar real o que se é abstrato
Exige muita fé cega a ser despendida.

E pra se montar o enredo
De transformação do acreditar
Em algo possível de realizar
Me faz ter forças pra continuar.

E desistir nunca irá me tornar sensato,
Talvez um frustrado prepotente
Que joga seu sonho em uma lixeira
E mente pra si mesmo, dizendo que amadureceu.

J Mario Cavalcante