Páginas

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Mesmo que ela não saiba



Ouse, acredite, apaixone – se mesmo que ela não saiba.
Chore, sofra, arrependa – se mesmo que ninguém saiba.

Dê de graça seu melhor sorriso
Acompanhado de um beijo devotado
Mesmo que ela não saiba.

Rogue por manifestações do acaso
Que não é todo dia que acordamos
Com nosso melhor roteiro original.

Você acredita que podemos exalar paixão?
Você sentiu?
Talvez isso tudo não faça o menor sentido
E quem se importa?

Mas e se tudo isso fizer sentido?
Percebe?
Que talvez por algum acaso
Você consiga ler tudo isso que escrevi
E perceba que foi para você.

J. Mário Cavalcante