Páginas

sábado, 24 de dezembro de 2016

TUDO QUE EU NÃO DEVIA ESCREVER NUMA VÉSPERA DE NATAL

Pense um pouco em ti
Seja egoísta e até hedonista
Beba amor próprio,
Não, tome um porre.

Sofra por amor e deixe doer
Ame e deixe sentir
Seja feliz e até bobo
Seja você, sem convenções
Com contradições.

Abrace as oportunidades
E as pessoas também
Fique triste com um sorriso
Alegre-se sem sorrir
Seja inconstante e até idiota
Seja feliz com você
Sem amarras, viva!

Aproveite os dias,
Segundas, terças e quartas
Só trabalhe ou não,
Tenha momentos íntimos
Só com você, garanto que
Os outros esperam.

Faça só o que quiser
Use o NÃO,
Sabendo ou não usar.
Não sei sorrir nem por isso
Deixo de usar.
Só seja o que você enseja
Por meia hora ou uma vida
Deixe pra depois tudo aquilo
Que você devia ter feito pra ontem
E faça pra ontem tudo que devia deixar pra lá

Seja, viva e sobreviva
Dance sem música
Fique parado com música
Sorria pros entojados
E mande a merda os felizes
Quando queira inverter
Também o faça.

Saia da caixa ou do armário
Ou fique lá, quem sou eu
Pra julgar.

Seja parcial e imparcial
Um seguido do outro
Inverta as ordens, desrespeite-as
Também.


E no natal seja feliz com ou sem clichês.

J. Mário Cavalcante