Páginas

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

DIA 3



Dois mundos distantes
Permanecem incógnitos
Na silhueta de um vestido
Que acorrenta-me em pensamentos

Devaneios de probabilidades infinitas
Situações incompreendidas
Culpa do silencio,
Do looping de desejos contidos.

Caminho em silencio
Entre sociopatas,
Mentes anorexas
E estupidos.

Na busca por eros
Que vi em seus olhos
Em uma tarde qualquer
Onde o vazio fazia casa.

J. Mário Cavalcante 


 

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

VOCÊ ME BAGUNÇA



Dispara mesmo com trava
Estilhaça silenciosamente,
Em dor no peito crava
Sufoca-me desesperadamente

Quanto mais entrei nesse
Jogo de silencio forçado
Acreditei que se não te visse
Mais, teria o assunto acabado.

Mas quando trata-se de solidão
Os demônios correm sorrindo
A sua aura virou atração.

Enquanto permaneço caindo
Nas trevas da falta de razão
Meus fantasmas estão indo e vindo.

J. Mário Cavalcante 

 

sábado, 1 de outubro de 2016

SINTO QUE VOCÊ VAI CHEGAR



Posso sentir o instante
Que antecede o porvir,
Quando nos procurávamos
Atravessando cortinas
De pessoas confusas
Na busca por um olhar
Que fosse,
Um sorriso que brote
Uma afirmação tímida,
Mas! Mas? Mas....
Minha lanterna continua
Apontada para o sol.
Fique um pouco mais!
Finja que se importa,
Faça-me acreditar
Que o erro não foi meu
Que o sorriso sincero
Não é fraterno.
Diga-me que minha ilusões
Fazem sentido para você.
Fazem?

J. Mário Cavalcante