Páginas

segunda-feira, 24 de abril de 2017

A SOLIDÃO ME TIRA O SONO




O relógio já passa das três e eu aqui deitado virando de um lado para o outro numa briga épica com meu travesseiro como se ele fosse o culpado pela minha falta de sono, e os minutos vão passando, atormentando numa crescente, culpo meus problemas cotidianos como contas, responsabilidades adiadas, projetos inacabados essas coisas triviais que fazem parte do dia-a-dia, mas................. Sinceramente não é disso que se trata minha insônia. Então algo acontece naquele instante em que todos os pensamentos efervescentes repousam no fundo da memória e nesse breve momento de paz percebo que o que me tira o sono não são as trivialidades mas sim um vazio que começa a ganhar forma e no mesmo instante como uma apresentação em power point começam a surgir na minha frente vários olhares e todos têm algo em comum, parecem que todos já encontraram seu lugar no mundo e eu não encontrei nem uma posição para dormir.
 E no vai e vem dos minutos que se tornaram horas meus pensamentos continuam tentando encontrar explicações ou pelo menos alento tentando prever o futuro me perguntando. Qual será a próxima vez que não sentirei esse vazio de novo?
Será que você pensa em mim?
Será que já há um vislumbre no tempo de quem será?
E de serás vou construindo um conjuntura sócio filosófica de mim mesmo, divagando vou sonhando, construindo e me preparando para o que está por vir, que pode ser vagar por mais um tempo a esmo nos meus devaneios solitários ou encontrar cumplicidade bem dosada entre duas pessoas que agora querem dividir os mesmos instantes.