Páginas

domingo, 14 de maio de 2017

CARINHO DE MÃE


Da janela aberta vejo a fresta de luz
que escorre da sala
solidão palida ameniza-se
com a companhia onipresente
de carinho de mãe.

Da porta da rua ouço o frigir
de qualquer coisa na cozinha
amor em forma de sabor
dom onipresente
de carinho de mãe.

Em qualquer lugar do mundo
conversas interminaveis
no silencio das palavras
sabedoria onipresente
de carinho de mãe.

Do fundo do meu coração
dentro do cofre de trás do quadro
do ultimo escritório
das entranhas de minhas emoções
guardo o carinho da minha mãe.

J. Mário Cavalcante